0

Port Scanner com Sockets em Java

Java (2)Port Scanner com Sockets em Java

Esta postagem mostra um exemplo simples de como construir um portScanner utilizando a tecnologia de Sockets do Java. A tecnologia de Sockets assume o paradigma de cliente/servidor baseando em TCP-IP. Os sockets são compostos por um conjunto de primitivas do sistema operacional.

Como funciona?

O programa cliente envia uma requisição utilizando um Socket para o servidor. Esta requisição é enviada para a porta aonde está associado o ServerSocket. Ao aceitar a requisição, o ServerSocket cria um Socket exclusivo para se comunicar com o cliente. Isto deve ser feito dentro de uma Thread exclusiva para não “enfileirar” o atendimento às requisições.

Exemplo: portScanner

 

0

Descompactar Arquivo .zip em Java

Java (2)Descompactar Arquivo .zip em Java

Seguindo a postagem anterior de como compactar um arquivo em .zip segue a forma de extrair o mesmo.

Código Exemplo:

 

Teste de Extração do Arquivo:

 

0

Gerar Arquivo .Zip em Java

Java (2)Criação de Método para Gerar um Arquivo .zip em Java

Segue um exemplo simples de como gerar um arquivo .zip em java, usando somente as classes nativas do Java. Para algumas situações tais como transferência de arquivos por email ou até mesmo a geração de logs é extremamente útil a compactação de arquivos .zip. Segue a implementação:

Código Exemplo:

Testando o Método de Compactação

Nota-se que o  arquivo .zip a ser gerado tem o mesmo nome do arquivo a ser compactado, uma boa alternativa é gerar o nome do arquivo concatenando a data de geração do mesmo.

 

 

0

Orientação a Objetos


Hand drawing empty diagramIntrodução a Orientação a Objetos

O conceito de orientação a objetos tem sido adotado por muitos programadores e linguagens de programação em virtude de sua flexibilidade, capacidade de reaproveitamento do código e facilidade de manutenção. O paradigma de Orientação a Objetos tem com princípio a representação de Objetos presentes no mundo real em forma de linguagem de programação, onde cada componente representado no mundo real representa um componente do programa, ou seja, cada componente do programa é tratado como um objeto, com suas características e funcionalidades, dentro de um conceito muito próximo ao abordado no mundo real.

Orientação a Objetos Vs Programação Estruturada

estruturapooA Programação Estruturada é um tipo de programação baseada em modularização, onde a ideia era dividir um programa em unidades menores conhecidas como procedimentos ou funções. Cada uma dessas unidades são construídas para desempenhar uma tarefa específica diversas vezes. Na Programação Estruturada os procedimentos ou funções se interligam através do uso de três mecanismos básicos que seguem: sequência, decisão e iteração.Na estrutura de Sequência, são representados os passos para executar determinada rotina em um programa. Já na estrutura de Decisão, é permitido selecionar um determinado fluxo para executar uma rotina dentro do programa. Já na estrutura Iteração, é permitida a execução repetitiva de um determinado bloco de comandos do programa.]

Algumas linguagens que utilizam a Programação Estruturada:

  • Pascal
  • Cliper
  • Cobol

Na Orientação a Objetos trabalhamos com estruturas que representam o nosso dia-a-dia, sobre qual possuímos uma maior compreensão. Para trabalharmos com Programação Orientada a Objetos (POO) é necessário entender todo o conceito de Classes e Objetos. O uso desta tecnologia trás uma série de vantagens na hora de desenvolver uma aplicação.

Vantagens da Orientação a Objetos

  • Reuso de Código
  • Facilidade de Manutenção ou Mudanças
  • Encapsulamento
  • Flexibilidade
  • Moduralização de Sistemas

Algumas linguagens que utilizam Orientação a Objetos:

  • C++
  • C#
  • Java
  • PHP
2

CRUD completo com PHP – parte 04

phpCadastro de Clientes com PHP e Mysql – Parte 04

Script de Carga tb_profissao e tb_formacao

Dado prosseguimento a implementação do formulário de clientes, seguem os scripts de carga das tabelas tb_formacao e tb_profissao, fica a critério de cada um o preenchimento destas tabelas, para agilizar o trabalho segue o script de carga:

  • tb_formacao

 

  • tb_profissao

 

Desta forma podemos ter no nosso formulário uma combo de profissões ou de formações dinâmica.

comboprofissao

0

CRUD completo com PHP – parte 03

phpCadastro de Clientes com PHP e Mysql – Parte 03

Formulário de Cadastro de Clientes

Na terceira parte deste tutorial construiremos um formulário html para o cadastro de clientes.

form_clientes

Para a implementação do formulário acima segue o código a seguir:

 

Note que nas linhas 27 a 39, realizo uma consulta para recuperar a formação do cliente a ser cadastrado. O mesmo se repete das linhas 42 a 53 para recuperar a profissão, na próxima postagem veremos o script de carga para as tabelas de tb_formacao e tb_profissao. Para finalizar salve o formulário acima no diretório cadastroclientes com o nome formclientes.php.

0

CRUD completo com PHP – parte 02

php

Cadastro de Clientes com PHP e Mysql – Parte 02

Conexão com a Base MySQL

Com base na postagem anterior realizaremos a conexão com base de dados MySQL, para implementação será utilizada a IDE NetBeans 7.0 .1, estou definindo como estrutura do projeto a árvore de diretórios a seguir:projeto

Iniciaremos criando o arquivo de conexão com a base de dados.

Conexão com  a Base de Dados:

 

Salve o script com o nome conexao.php no diretório config da árvore de diretórios definida no inicio do tutorial.

Testando a Conexão com o Mysql

 

A estrutura condicional acima pode ser inserida no arquivo conexao.php, ou em uma outra página desde que a mesma faça o include do script conexao.php. Em caso de falha da conexão verifique o usuário, senha, caminho e nome do banco. Até a próxima parte do tutorial.

 

0

CRUD completo com PHP – parte 01

php

Cadastro de Clientes com PHP e Mysql – Parte 01

Nesta postagem darei inicio a um tutorial de um CRUD completo de um cadastro de clientes, com inserção, alteração, exclusão e consulta. Nesta primeira parte criaremos o script do banco de dados. Para este tutorial seguiremos o modelo de dados a seguir:

Diagrama de Classes do Tutorial

diagrama de classes

Script do Banco de Dados

 

Todas as tabelas deste tutorial estão com o motor de armazenamento myISAM para uso de índices Full-Text. No próximo tutorial abordarei a conexão com banco de dados.

0

Protocolo SOAP

managed-services-icon

Protoloco SOAP

O protocolo SOAP é um padrão de troca de mensagens entre aplicações e Web Services, já que utiliza como base o XML e HTTP, definindo uma estrutura para a transmissão de mensagens entre sistemas distribuídos. De acordo com o W3Schools, a estrutura da mensagem SOAP é definida em um documento XML, que é formatado da seguinte forma que é mostrada na ilustração abaixo:

soapEvelope

Uma mensagem SOAP possui basicamente os seguintes elementos:

  • Envelope: é obrigatório em mensagens SOAP. O Envelope pode conter declarações de namespaces e também atributos adicionais como o que define o estilo de codificação (encoding style). Um “enconding style” define como os dados são representados no documento XML.
  • Header: é um item opcional, tendo como características, carregar informações adicionais do tipo se a mensagem dever ser processada por um determinado nó intermediário. Quando utilizado, o Header deve ser o primeiro elemento do Envelope.
  • Body: é um elemento obrigatório e contem o a informações propriamente dita que será transportada para o seu destino final. O body pode conter um elemento opcional Fault, usado para carregar mensagens de status erros pelos “nós” ao processarem mensagem.

O protocolo SOAP é importante para o desenvolvimento de aplicativos para permitir a comunicação via Internet entre os programas.

Estrutura de uma Mensagem SOAP