0

Estruturas em C++

c++logo

Estruturas em C++

Este é o meu primeiro post sobre C++, eventualmente vou postar dicas e compartilhar o conhecimento sobre está linguagem, e pra começar segue uma breve definição e exemplo de uso de estruturas em C++. As estruturas (structs) são tipos de variáveis que permitem armazenar diversos tipos de dados em membros que compõem a mesma. Uma estrutura (struct) segue o modelo estrutura-membros, onde em uma estrutura podem ser definidos diversos atributos membros cada um com o seu tipo de dado definido no momento da declaração.

Sintaxe:

Os membros de uma estrutura podem ser declarados usando os tipos de dados do C++, Arrays e até mesmo outras estruturas.

Exemplo de Aplicação:

Para acessar a um membro de  uma estrutura devemos usar o operador ponto ( . ). Seguindo o modelo abaixo:

 Exemplo Prático:

 Resultado:

structCPlusPlus

0

Tratando UTF-8 com PHP

phpTratando UTF-8 com PHP

Ao fazer uploads de arquivos em seu servidor web notou que o os caracteres especiais e acentuação de sua página não ficaram da forma adequada, podemos evitar esses deslises com com as boas práticas a seguir:

Tratando conteúdos da página PHP

Para controlar caracteres especiais em páginas php devemos definir na  função de configuração init_set().

 Tratando dados do MySQL

Para controlar caracteres especiais gerados por conteúdo vindo de um banco de dados MySQL.

Tratando conteúdo HTML

Para controlar caracteres especias em páginas HTML basta adicionar a tag <meta> com charset=UTF-8.

0

Orientação a Objetos em PHP

phpMétodos Construtores e Destrutores

Os métodos construtores e destrutores são métodos especiais de grande importância para uma classe. Um método construtor é um método utilizado para definir o comportamento inicial de um objeto, sendo assim o mesmo define o comportamento do objeto no momento de sua criação. O método construtor é executado no momento em que instanciamos um objeto através do uso do operador new. Caso não seja definido um método construtor em sua classe de domínio, todas as propriedades do mesmo são inicializadas com o valor NULL.

Para definir um método construtor em sua classe de domínio basta fazer o uso do método __construct( ).

Exemplo:

O método destrutor é um método executado quando objeto é desalocado da memória, quando atribuirmos o valor Null ao objeto, quando usamos a função unset() sobre o mesmo ou quando o programa é finalizado. Além de tais aplicações o mesmo pode ser utilizado para finalizar conexões, apagar arquivos temporários criados durante o uso do objeto.

Para definir um um método destrutor basta fazer uso do método __destruct( ).

Exemplo:

 

0

Orientação a Objetos em PHP

phpMétodos e Objetos

Métodos

Um método é uma função definida dentro do escopo de uma classe. No PHP usamos a palavra reservada function para definir um método dentro do escopo de uma classe. Todos os métodos devem ficar dentro do escopo da classe { }. Os métodos também podem ser entendidos como funções que realizam tarefas com atributos de uma classe. Usando métodos podemos alterar o comportamento de um Objeto.

Sintaxe:

Objetos

Um objeto contém exatamente a mesma estrutura de uma classe, mantendo assim as suas propriedades. Porém a sua estrutura é dinâmica e seus atributos podem mudar de valor durante a execução do programa. Podemos declarar diversos objetos de uma mesma classe. Baseando-se na classe Pessoa criada no exemplo do capitulo anterior, criaremos um objeto para demonstrar as características de tal classe. Um objeto é composto de atributos e métodos.

Sintaxe:

Exemplo: ( Salve o exemplo com o nome: exibirdados.php )

O exemplo a seguir é baseado nos atributos da classe Pessoa da postagem anterior.

 

0

Orientação a Objetos em PHP

phpClasses

Uma classe é uma estrutura estática usada para descrever objetos através de seus atributos (propriedades) e métodos (funcionalidades). A classe é um molde ou template para a criação desses objetos. Uma classe pode representar as entidades negócio de uma aplicação (pessoa, cliente, conta, veiculo), entidades de conexão (conexão com o banco de dados, arquivos texto, arquivos XML, etc), entidades de interface (janelas, botões, painel, frames, barras). Uma classe é uma estrutura que define um tipo de dados, podendo ter atributos (variáveis) e funções (métodos).

Sintaxe:

Para criarmos uma classe utilizamos o operador class antes do nome da mesma, e o operador var antes do nome de seus atributos.
O escopo da classe é definido por: { }. Toda implementação, atributos e métodos deve ficar dentro das chaves da classe.

Exemplo: ( Salve o exemplo com o nome: Pessoa.class )

 

Além da criação de atributos uma classe também pode possuir métodos, que podem representar alguma regra de negócio, como por exemplo, exibir os dados de uma Pessoa, descontar o preço de um produto, etc.

Exemplo: ( Salve o exemplo com o nome: Pessoa.class )

Os membros de uma classe devem ser declarados da seguinte ordem: primeiro os atributos junto ao operador var e em seguida os métodos junto ao operador function.

0

Web Services Description Language, WSDL

managed-services-iconWeb Services Description Language, WSDL

Esta postagem é uma breve definição de um documento WSDL, a mesma foi retirada do meu projeto de conclusão do bacharelado. Segue a definição usada em meu projeto para descrever os documentos WSDL.

O Web Services Description Language (WSDL) é uma linguagem baseada em XML que permite com que os Web Services disponibilizem acesso as suas informações de uma forma padronizada e organizada através de interfaces. Por sua vez as interfaces contêm as informações sobre todas as funcionalidades de um serviço, tais informações são todos os tipos de dados que fazem com o cliente possa utilizar um serviço e todas as suas funções. A principal função do WSDL é disponibilizar para o cliente um serviço e suas funções disponíveis independentemente de plataforma ou linguagem, fazendo assim com que uma aplicação Java se comunique com uma aplicação Perl ou com qualquer outra linguagem.

Os documentos em WSDL estabelecem contratos de serviços para web services baseados em SOAP, onde o mesmo se torna acessível através de um par formado pelo endpoint do serviço que define a URL do mesmo, e um namespace de serviço que define a URI do mesmo.

Elementos de um WSDL

O WSDL faz o uso de XML para descrever Web Services, especificando seis elementos principais:

  • <definitions>: É o elemento raiz de um documento WSDL.
  • <types>: Descreve todos os tipos de dados usados entre o cliente e o servidor
  • <message>: Descreve se a mensagem é uma requisição (request) ou uma resposta (response)
  • <portType>: Forma uma operação em um único sentido ou to tipo “request-response”.
  • <binding>: Definição de detalhes específicos de como o serviço será implementado.
  • <service>: Definição do endereço para invocar um serviço específico.

Além dos seis principais tipos o WSDL descreve mais dois elementos como utilitários:

  • <documentation>: É um elemento opcional que serve como um local para criar uma documentação compreensível ao homem, podendo aparecer dentro de qualquer elemento do WSDL.
  • <import>: Utilizado para importar outros documentos WSLD ou XML Schema.

Estrutura de um Documento WSDL

A estrutura de especificação do WSDL nada mais é do que um documento XML com um elemento raiz <definitions> que define um conjunto de serviços web. Essa estrutura segue a sintaxe a seguir:

Artigo_clip_image002

Não poderia deixar de citar o nome dos meus amigos que contribuíram para o crescimento de nossos estudos.

Grupo do Projeto Final: 
Fabiano Costa
Paulo Ricardo
Renan Santos

0

Validação de Campos com JavaScript

jsValidação de Campos com JavaScript

Nesta postagem segue uma forma simples mais funcional de como validar campos de um formulário com o velho e puro javascript. Tentei ilustrar as validações de ckeckbox, radios, selects e campos text da forma mais simples possível.  Para realizar as validações montei o seguinte formulário.

formsvalida

Implementação do Formulário HTML

Note que nas linhas 4 e 5 incorporo ao formulário uma folha de estilo e um arquivo com o script respectivamente. Os arquivos devem estar no mesmo diretório do formulário caso coloque em diretório diferente não se esqueça de fazer referência ao mesmo.

Folha de Estilo do Formulário

A folha de estilo é a mesma utilizada no post “Formulários sem Tabelas com CSS“, ao final salve o um arquivo com a implementação css com o nome estilo.css, segue a sua implementação.

Validação Javascript

Por fim implementaremos a validação dos campos do formulário,  o script abaixo contém as validações de preenchimento de campos obrigatórios além de uma simples validação para campos de e-mail, ao fim salve o script com o nome validacoes.js, segue a implementação: